Dicas de fotografia (parte 015)

Esta dica foi inspirada por um diálogo que tive num grupo de fotografia no facebook. Uma dama publicou uma imagem em preto e branco – ela estava em busca de opiniões sobre o trabalho, pois o tal grupo é especificamente para isso. Segue um pequeno trecho do que eu disse:

“... iniciantes em fotografia têm o hábito de esquecer que tudo no universo está em movimento, então fotografias são (em si) um pedaço daquilo que foi congelado, ou seja, estão “fora” do domínio do tempo, mas não se deixe enganar. Olhe suas fotografias como se fossem cenas de um filme.
A continuidade do momento "preso" na fotografia é importante. O movimento pode ser do que você está vendo ou (grandiosamente) do que está sentindo. Junte ambos e fará poesias. É isso que eu busco...”

A dica de hoje é simples... observe a luz. Valorize formas e contrastes. Em preto e branco, entramos num nível em que as cores não têm tanta importância. Só que essa simplicidade é aparente, pois “remover” as cores da nossa mente não é tão fácil.


Se pretende exercitar a omissão das cores, recomendo que configure sua câmera para preto e branco (algumas apresentam a opção como monocromático ou BW). Tenho duas observações para isto:

  1. Câmeras compactas, smartphones e tablets – A maioria esmagadora desses dispositivos permite o uso de preto e branco, porém o ajuste para esse fim resultará em fotografias preto e branco sem a opção de reverter a omissão das cores. Fotografe em preto e branco e é isso que terá.
  2. Câmeras DSLr - Muitas câmeras permitem o uso de um formato de arquivo que permite que você visualize o resultado em preto e branco, mas as cores não se perdem. Já existem dispositivos móveis (smartphones) que permitem o uso do formato RAW.
    O formato de arquivo RAW permite que você veja o resultado em preto e branco no display da câmera, mas as cores são armazenadas – quem usa esse formato tem vantagem, porém terá de trabalhar mais com programas que reconhecem o RAW para criar uma versão em preto e branco.
    Se você não entendeu nada desta parte sobre RAW, não se preocupe. Futuramente irei abordar dicas sobre formatos de arquivo.
Um bom começo é assistir filmes e vídeos em preto e branco. Logo você notará outros valores, além das cores. A relação tonal entre as cores dos objetos e elementos na composição passa a ser fundamental. Outra relação fundamental é a de contraste (que diz respeito ás diferenças entre luz e sombras).

Assista um vídeo da canção de Marisa Monte. O contraste é alto, ou seja, as diferenças entre luzes e sombras é grande. Assim somente o que importa é exibido.


Agradeço a amiga Carla Bogleux por me apresentar este vídeo!

Assista ao premiado filme Ida. Observe a luz e as sombras... Note como o contraste muda e a iluminação (artificial ou natural) tem papel narrativo belíssimo. Segue trailer legendado.





Gostou deste artigo? Role a tela para baixo, deixe seu comentário ou veja outros itens interessantes.

Antes de usar o conteúdo deste artigo para outros fins, por favor, consulte a nossa política de privacidade e direitos de uso.