Fotografia (parte 020) Rostos

Continuamos o nosso mergulho no mundo dos retratos... A anatomia humana é um desafio interessante aos retratistas. As faces são únicas e variam dramaticamente entre indivíduos e isto deve ser considerado.
Hoje daremos um passeio entre as posições mais interessantes para enquadrar rostos, são elas: visão completa, dois terços, três quartos e perfil.

Visão completa (frontal)
A visão completa apresenta a face de frente para a lente.


Tende a ser a que tem impacto direto e formal, mas podemos quebrar este clima com um bom posicionamento de mãos, variação de altura de ombros e um belo sorriso. A visão completa é indicada para pessoas de rosto delgado.

Visão em três quartos (3/4)
É a minha preferida. Tem um apelo suave e atraente, que quebra a formalidade e permite uma sensação de confiança e credibilidade. Políticos, empresários, jornalistas, vendedores e estudantes de mensagens subliminares usam dessa técnica em diálogos, palestras, comícios, negociações e até em conquistas amorosas.

A dama do nosso exemplo não está sorrindo, então a condição de credibilidade se transforma. Publiquei propositalmente assim para que você entenda que não existem regras fixas.

Para alcançar esta posição, basta que a pessoa gire a cabeça até que a ponta do nariz alcance ou passe levemente do canto interno do olho que ficará mais distante da lente. Pessoas de nariz médio ou longo ficam bem retratadas nesta posição.


Vale destacar que esta posição não depende de inclinação da cabeça (exemplo acima). A visão 3/4 pode ser alcançada como no exemplo abaixo.

Visão em dois terços (2/3)
Girando um pouco mais a cabeça, quando a ponta do nariz alcança o início da bochecha e a orelha mais distante da lente desaparece no enquadramento, temos o 3/4. Cuidado, pois pessoas de nariz longo não ficam bem nessa visão. Não é indicado que a linha da bochecha seja “quebrada” nariz.

Desta vez giramos a cabeça para o lado oposto para que saiba que essas visões não tem relação para o lado em que a pessoa olha.


Visão de perfil
Ocorre quando vemos apenas uma das metades do rosto. É indicado que nada da outra metade apareça.


Quebrando “regras”
Obviamente qualquer das posições acima pode ser alterada. Eu as interpreto como indicações comuns e proveitosas, as quais podem render bons momentos. Nestas posições você terá maiores chances de produzir bons retratos.

Lembre-se, os ângulos podem variar bastante. Tome como referência o nariz e preste atenção nele.

Para finalizar, note como todas as imagens deste artigo vão de "encontro" ao que aprendemos no artigo 019.

Gostou deste artigo? Role a tela para baixo, deixe seu comentário ou veja outros itens interessantes.

Antes de usar o conteúdo deste artigo para outros fins, por favor, consulte a nossa política de privacidade e direitos de uso.